Buscando alternativas a aplicativos de mensagens proprietários: reduzindo o impacto da vigilância na educação

Contexto

Contexto motivador: A sociedade atravessa um momento nunca vivenciado, onde uma pandemia totalmente desconhecida traz enormes desafios para que a educação chegue de fato aos discentes. Sendo assim, instituições passam a utilizar diversos tipos de plataforma digitais como forma de ensino. O grande problema é o que está por trás de tais plataformas que coletam sorrateiramente os dados dos usuários, promovem a fidelização dos mesmos e das instituições e ao mesmo tempo abre o quesito vigilância para diversos outros países. Pensando na ideia de educação problematizadora de FREIRE, em sua obra “Pedagogia do Oprimido” de(1999), onde leva o aluno a entender de que forma o mundo funciona e de cada interesse existente por trás daquilo que nos atrai é necessario conhecer bem qual caráter ideológico está por trás desses meios de comunicação, ou nos questionar a serviço de quem os mesmos expõem seus trabalhos. Atentando assim para o espírito crítico que Freire tanto nos alerta quanto aos meios de comunicação. Diversas mudanças acontecem rotineiramente no ambiente escolar e que posturas docentes também devem ser revistas ou seja, com o surgimento de novas tecnologias como instituições de ensino devem conhecer o que está no oculto de tais meios tecnológicos. Diante da necessidade de  novas propostas para criação coletiva de conhecimentos que nos levem a   práticas libertadoras, onde levem o educando a pensar e não ser movido por “achismos”. Devemos ser criteriosos quanto aos meios tecnológicos e reconhecer que tudo tem caráter ideológico. Por todos esses motivos e pensando na segurança das universidades, de docentes e discentes. Sugerimos uma analiise de um aplicativo utilizado corriqueiramente, que promova a educação com transparência e que resguarde a privacidade de seus usuários não expondo seus dados á riscos previstos em plataformas rotineiramente usados.

Objetivos

Objetivo Geral: Apontar questões relativas ao capitalismo de vigilância na educação, com referência a aplicativos de mensagens como:  WhatsApp/Telegram  e avaliar quais prejuízos a vigilância tem trago para a educação no contexto familiar.

Objetivos Específicos:

  • Levantar o conhecimento da família com relação ao capitalismo de vigilância no que tange aplicativos de mensagens.
  • Apontar o que muda na vida dos discentes com a vigilância no que tange o uso de aplicativos de mensagens.
  • Avaliar juntamente com os pais o aplicativo Signal como alternativa a aplicativos de mensagens  

Metodologia

 Primeiro encontro: 1h30min

É feita uma roda de conversa sobre o capitalismo de vigilância fundamentada no artigo: Capitalismo de Vigilancia. Disponível no link <  https://outraspalavras.net/tecnologiaemdisputa/capitalismo-de-vigilancia-infiltra-se-no-ensino-publico/ > onde salienta aspectos como : a educação vigiada e consequência das ferramentas de comunicação sendo feitos levantamentos de dados acerca do nível de conhecimento dos pais sobre a vigilância que ocorre rotineiramente na internet, observando assim possíveis prejuízos para a instituição e docente.

Segundo encontro: 1h30min

É apresentado um slide (construído pelo docente) que aborda o tema capitalismo de vigilancia em aplicativos de mensagem e software livre juntamente com um curta metragem que mostre aos pais de que forma acontece a vigilância por traz das redes, sobretudo em aplicativos mensageiros mais utilizados como Whatsapp, abordando problemas como: coleta de dados dos discentes e a fidelização dos usuários.

Link do curta < https://www.youtube.com/watch?v=MRT6TyQARPM >  . Lembrando que o curta vai explicar  melhor o tema com tópicos abordados anteriormente.

Terceiro encontro: 1h30min

Diante do levantamento e explicação sobre o sistema de vigilância  que reverbera na internet vamos apresentar um tutorial sobre o aplicativo Signal destacando que por ser um aplicativo de software livre com preocupação com a privacidade, os alunos, bem como toda a comunidade escolar se beneficiará por não ter os seus dados e metadados compartilhados com e pelo capitalismo de vigilância.

Link do tutorial < https://www.youtube.com/watch?v=os-WsLyeYgI > .

Nesse sentido convidamos os pais a baixarem o aplicativo nesse mesmo momento advertindo-os que o mesmo servirá a partir de então para troca de mensagem entre pais, docentes e discentes, servindo como uma substituição do whatsapp (nessa perspectiva salientamos que esse procedimento depende da proposta pedagógica da instituição). Através do mensageiro de software livre é feito o envio de materiais complementares como: link da tirinhas em pdf  <https://documentcloud.adobe.com/link/review?uri=urn:aaid:scds:US:6470e06b-760f-47a7-b060-1f1346e11051 >  e link do curta metragem <https://www.youtube.com/watch?v=MRT6TyQARPM   >

Número de aulas

  • São três encontros de 1 hora e 30 minutos cada.  

Resultados

Com está prática pais e responsáveis poderão avaliar sobre a vigilância que acontece por trás dos aplicativos de mensagens  e seus riscos para a privacidade da criança. Partindo desta reflexão poderão tratar desse assunto com os alunos em casa  e terão uma opção de plataforma segura  para ser utilizada na educação. 

Por que recomenda?

O sistema de ensino no contexto remoto acaba por não dar conta de assegurar/proteger os dados dos atores sociais que estão inseridos no contexto escolar, haja visto que o avanço silencioso do capitalismo de vigilância na educação brasileira poderá trazer consequências obscuras. Partindo desses pressupostos e visando a importância da privacidade e a proteção dos dados dos estudantes recomenda-se o uso de plataformas menos invasivas.

Adaptação/recriação

Não, De própria autoria.

Referências

CRUZ, Leonardo Ribeiro; VENTURINI, Jamila Rodrigues  Neoliberalismo e crise: o avanço silêncio do capitalismo de vigilância na educação brasileira durante a pandemia da Covid-19. Revista Brasileira de Informática na Educação. Disponível em < https://br-ie.org/pub/index.php/rbie/article/view/v28p1060 > Acesso em 16 de Ago. de 2021.  

HERMES, P. H; SUTEL, R. O; SILVA, R. L; A Vigilância Dos Dados Pessoais De Crianças E Adolescentes Frente À Lei Geral de Proteção Integral. 5° Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade . Edição 2019 – Mídias e Direitos da Sociedade em Rede. Disponível em<  https://www.ufsm.br/app/uploads/sites/563/2019/09/11.5.pdf >  Acesso em 17 de Ago. de 2021.  

FREIRE, Paulo. Relação ensino-aprendizagem da docência: traços da Pedagogia de Paulo Freire no Ensino Superior – Dossiê Paulo Freire a Prática Pedagógica e a formação de professores. Disponível em < https://www.scielo.br/j/er/a/mFvDbRfC5LVsH8fzyj9CcHc/?lang=pt >   Acesso em 17 de Ago. 2021.  

FREIRE, Paulo.  Pedagogia do Oprimido de 1999 .  Disponível em  < https://cpers.com.br/wp-content/uploads/2019/10/Pedagogia-do-Oprimido-Paulo-Freire.pdf > Acesso em 17 de Ago.de 2021  

YOUTUBE – CURTA METRAGEM Canal Fermento Feminista; Capitalismo de Vigilância. Disponível em < https://www.youtube.com/watch?v=MRT6TyQARPM > <  . Acesso em 17 de Ago. de 2021.  

YOUTUBE – TUTORIAL SIGNAL  Canal Paulo Mattos Mentor; Como Usar o Signal App(2021). O que é Signal? Disponível em < https://www.youtube.com/watch?v=os-WsLyeYgI > Acesso em 17 de Ago. de 2021.  

MARTINS,R.X. A Covid-19 e o6 Fim da Educação a Distância: um ensaio. Revista de Educação à Distancia, vol.44,2020. Disponível em <https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/620 > Acesso em 08 de Ago. de 2021.    

As imagens e vídeos indicados nesta prática não estão sob licença CC BY NC, caso queira reutilizá-los, entre em contato com o autor da prática pelo comentário.

Áreas do conhecimento

Competências gerais da BNCC

Competências socioemocionais

Público Alvo

Temas

Compartilhe:

Ícone do WhatsAppÍcone do TwitterÍcone do Facebook

Baixe essa prática:

Download

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo EducaDigital Nic.br Catedra Unesco